Autor

Pintando o trio

Pintando o trio do Cheiro

Sempre tive dificuldade em explicar minha profissão. Houve época em que eu era “o pintor e decorador de trios elétricos, palcos, paredes e o escambau…”  Mas, com o tempo, o “designer” das fantasias, das mortalhas e dos abadas, prevaleceu. Nos últimos anos, porém, a publicidade tomou conta do meu tempo, à despeito de torcer o nariz para essa profissão. Não que eu tenha muita saudade do tempo que passava dias em cima de andaimes e debaixo do sol. É que os processos mudaram, a tecnologia se impôs, a idade também, e você termina tendo que fazer opções que só o tempo dirá se as melhores.

Mas trago algumas convicções: uma, por exemplo, é de que sempre encarei o desenho como um meio e nunca como um fim. Trabalhei com profissionais que adoravam desenhar, mas sempre preferir só criar, se possível. O desenho entrava como uma ferramenta, apenas. Mas a realidade é que já passei mais de 3o anos debruçado sobre uma prancheta ou um computador desenhando. Então, sou um desenhista. Mas preferia ser só um criador de ideias.

Contudo, vendo a “coisa” de um ponto de vista macro, acho que minha maior criação foi coletiva, junto com a minha geração, que de tão apaixonada pelo carnaval e modo vivendis da Salvador dos anos 70 e 80 – na verdade somos todos filhos de Vadinho, aquele personagem do romance “Dona Flor e seus dois maridos”, de Jorge Amado – apostou que poderia ir além e recriou a própria festa. Criaram muitas coisas boas e outras nem tanto – inclusive a tão falada “axé-music”. Sem dúvida, essa geração – e não os artistas da tal “axé-music” foi quem revolucionou a maneira de se fazer evento na Bahia e, que sejamos justos, virou referência para o Brasil. As estrelas, originárias dessa iniciativa, pela visibilidade e notoriedade natural, terminaram por sublimar os que verdadeiramente empreenderam o entretenimento por essas bandas, se contrapondo, inclusive, a um monopólio de comunicação que nos impunha todo um pacote baseado na cultura do centro-sul, notadamente a do Rio de Janeiro.

Não tenho, portanto, como não dedicar meu trabalho à muitos desses sonhadores com quem compartilhei ideias, suor, frustrações e comemorações. Passando os olhos nesse tempo, vejo os que fizeram sucesso, os que ainda estão por ai, e os que se perderam pelo caminho. É o preço do risco, mas a conquista foi de todos.

Desde da primeira criação em 1977 – em permuta por uma fantasia – já se passaram 36 carnavais.  E, acreditem, eu ainda não sei bem o que vou ser na vida.

Mas sei que continuo acreditando em ideias.

38 Respostas para “Autor

  1. É impressionante como Pedrinho da Rocha é um dos grandes protagonistas da história recente do nosso Carnaval. Mais que qualquer músico, se considerado individualmente, ele é o maior artista dessa folia. Tudo de bom que se concretiza no show biz baiano tem seu toque, seu traço, suas cores, ou no mínimo seu palpite… Outras idéias ainda não se concretizaram, e nos reservam outras tantas surpresas. Dom Pedro, mais que criador, você é um grande mestre do Carnaval da Bahia! Axé!

  2. Pedrinho da Rocha… sou suspeito pra falar desse artista sonhador e amigo genial. A ideia do blog é ótima, adorei. Agora todos podem conhecer o lado redator desse grande diretor de arte. Pelo tanto de boas histórias vai virar um livro. Abração, Leo

  3. Ricardo Campelo

    Floquinho foi muito feliz falando da sua importância pro carnaval. Mas você também é um caráter fora de série, um amigo da porra.

    Meu padrinho, meu professor, conselheiro e o melhor papo dessa terra. Achei sensacional a idéia de fazer o Blog.

    Saudade de encontrar você pra me mostrar o que anda fazendo, parecendo criança mostrando brinquedo novo.

    Grande abraço, Pedrão.

  4. Pedrinho,
    Parabéns pela bela iniciativa do blog que veio para abrilhantar e fortalecer ainda mais a nossa cultura, a nossa música. E o bom disso tudo é que essa nova geração de seguidores que curte a nossa música baiana, música do ASA, do Chiclete, de Ivete, da Timbalada, enfim…de tantos outros grandes talentos, conheçam como surgiu este movimento INTERPLANETÁRIO, Axé! Axé! Axé!

  5. Marcus Cadidé

    Grande Pedrinho.
    Que legal que agora temos esse espaço pra curtir e relembrar grandes momentos da história do carnaval de Salvador. Sempre acompanhei o seu trabalho porque sempre fui vidrado em carnaval e em todas as ilustrações e campanhas que circundavam esse meio. Quando saia á ruas de Salvador de ônibus pra estudar ficava de olho ligado nas campanhas principalmente de outdoors que falavam de blocos, festas e bandas da Bahia. E ficava impressionado com a qualidade e a forma as vezes simples e as vezes bastante ousadas como essas campanhas iam pras ruas. Falava: ainda vou trabalhar com isso… Projetos de trio então, putz, via com detalhes um a um, criticava, elogiava, ficava impressionado. Os layous das mortalhas / abadás também me impressionavam muito e cheguei até a rabiscar algumas coisas / idéias afim de (sem qualquer pretenção) mostrar pra algum bloco e de repente virar realidade. Acredita que cheguei até a tentar enviar umas amostras pro correio para o bloco Cheiro (do qual gostava muito) só que por ironia do destino ou mesmo porque tinha que ser colei o endereço no lugar do destinatário e não foi possivel enviar e terminei desistindo (rs). Enfim, hoje estou em São Paulo, continuo acompanhando o carnaval de Salvador de muito perto mas infelizmente existe uma magia fruto da própria inocência que foi a festa e do mundo dos artistas que ficou naquele passado saudoso que não volta mais. Hoje os leds dos trios ofuscam a beleza dos trabalhos criativos. Mas é isso mesmo, temos que acompanhar as mudanças senão mundam conosco não é verdade? Forte abraço.

    Marcus Cadidé
    Ger. Vendas Oi SP
    marcus.vinicius@oi.net.br
    mcadide@hotmail.com

  6. Don Pedro!
    Inteligente, sensato, perspicaz, cativante e ilário.
    Como já escrevi no Twitter, foi uma honra trabalhar na sua trupe, mesmo não sendo um artista como BC Leal, Lauro Jr, Ricardo Campelo, Rodrigão Barros e Gabriela Diaz.
    Sou um privilegiado por ter escutado de você tantas estórias ricas em detalhes como só aquele que vivenciou e inspirou cada uma delas poderia contar.
    E não só estórias de carnaval, mas de vida, conselhos e tudo mais que fosse motivo para ficar na agência depois do fim do expediente.
    Você é o cara e o carnaval é você!
    Parabéns!

  7. Posso me considerar fã dessa pessoa que há muito tempo faz as marcantes criações do Carnaval de Salvador. Na verdade tornei-me fã do Pedrinho sem saber exatamente quem era, pois desde pequeno acompanhava e gravava o Carnaval, ja que ainda não podia brincar nas ruas, consequentemente sempre reparava no detalhe dos abadás, trios elétricos, campanhas etc. e ficava fascinado com o colorido das fantasias, bem como com os incríveis desenhos/estrutura dos trios.

    A primeira vez que vi Pedrinho foi em uma entrevista concedida à Tv Bahia sobre desenho nos abadás, na época o exemplo mostrado foi o abadá do Bloco InterAsa (beija flor). E foi através do Asa que passei a conhecer suas criações, ja que no site da banda havia o link do endereço eletrônico de Pedrinho, quando visitei o site viajei no tempo e pude identificar que tudo de melhor que já tinha visto no Carnaval durante esses anos eram suas criações. A partir daí passei a acompanhar seus novos trabalhos, agora sabendo que é o criador (risos).

    Foi um grande privilégio conhecê-lo pessoalmente em 2009. Estou sempre acompanhando seu trabalho, pois é de qualidade. O Carnaval e o Axé devem muito a você.

    Um grande abraço
    Leandro

  8. Caro Pedrinho.. estou maravilhado pelos cartazes expostos.. gostaria de poder conhecer mais materiais desse tipo, se houver disponibilidade.

  9. Elídio Almeida

    Olá Pedro!

    Parabéns pelo Blog e por reunir tantos dados significativos da história da alegria da Bahia. Gostei muito do que encontrei aqui, além de recordar com muito saudosismo meus primeiros carnavais! Obrigado por sua contribuição e por manter viva esta alegria.

    Elídio Almeida – Psicólogo
    elidioalmeida.wordpress.com

  10. Marcus V. Americano da Costa

    Caro Pedro:

    Saúde…

    Parabéns pelo blog e, como publicitário, brilhante trajetória profissional na área da cultura popular da Bahia, em especial, do carnaval de Salvador, ao qual se identifica.

    Um abraço amigo.

    Marcus Americano

  11. Lucas Souza Maceió/AL

    Iaew Pedrinho blz?! Sou estudante de Publicidade, primeiramente quero te parabenizar pelas artes que vôce e sua equipe fazem no carnaval,nos abadás e trios eletricos de Salvador (duas artes que achei massa foi a do abadá do Coruja em 2006 estilo “Literatura de Cordel” e o trio do ASA 500 anos, lembro como hj assistindo-o pela TV qnd era criança). E segundo gostaria que você desse algumas dicas sobre essa área de criações e produções que vc escolheu: Desing Gráfico, pois pretendo seguir esse mesmo ramo! Abraços e SUCESSO SEMPRE!

    • oi, Lucas. Desculpe a demora, mas estive envolvido com um novo projeto e não tinha tempo para nada. Aliás, essa minha desculpa já sinaliza o que é a vida profissional de quem trabalha com criação, seja um designer, publicitário ou qualquer outra área que exija desenvolver novas idéias. Somos meio que escravos voluntários. Nem sempre é fácil convencer aos outros sobre suas idéias, por vezes é frustrante, mas no conjunto da obra existem benefícios grandes para o “ser”, ou seja, sua vida é estimulada sempre. Esse é o grande fruto de quem trabalha com criação. O trabalho é duro, mais rejuvenesce.
      O mercado não é fácil para nenhuma profissão, mas no nosso caso, exige uma ferramenta indispensável que é algum tipo de talento… e muita capacidade de trabalho. Vá em frente e sucesso. Obrigado pelas palavras de carinho.

  12. Fhilipe Iago Araujo Cordeiro

    Caro Pedrinho da Rocha, venho aqui como admirador de seu trabalho e como visitante do seu blog conferindo sempre seus trabalhos pedir uma humilde opnião a você. É que estou dando inicio a uma nova torcida do chiclete(fã clube) e em meio a tantos fã clubes já existentes cada um com seu logotipo me sinto perdido e com poucas ideias pra fazer o logotipo para o meu. A proposta é de por o nome ” Se me chamar eu vou ”, se você puder me ajudar, não sou profissional, sou estudante e aprendi a mecher no corel(o básico) na época da gravação do dvd flutuar, quando fiz minha primeira bandeira para a ocasião.Mas quando me dedico a esses trabalhinhos que acho divertido me empenho a aprender mais um pouco pra fazer um ou outro detalhe novo. Desde já agradeço a atenção e parabéns pelos seus trabalhos, em especial a evolução dos trios eletricos e os abadás,principalmente do camaleão e nana. Abraço

  13. Lucas Souza / Maceió - AL

    Iaew Pedrinho blz?! Gostaria de saber quando você irá lançar seu Livro: Fantasias. Pois estou curioso (como todo publicitário é kkkkk) para ler sobre sua história de Desing Gráfico envolvendo o Carnaval de Salvador que eu admiro muito. Principalmente suas artes gráficas criativas. Também gostaria de dá uma sugestão para o seu livro, que você colocasse algumas dicas para nós futuros desing gráficos! Abraços Lucas Souza – Maceió/AL

  14. Amadeu Junior

    Salve Pedrinho
    Boa Tarde
    Dentro do não acaso, encontro este espaço dedicado a arte brasileira e sua originalidade, vio em uma cidae simples de pouco mais de quinze mil habitantes e totalmente dominada por coroneis e suas plantações de eucaliptos. Trabalho com comunicação visual e qdo consigo produzo algum evento cultural, desafios . . . .
    Neste ano, penso em partir para o pleito municipal, afinal acredito q o planeta esta pasando por uma profunda transformação e cabe as pessoas do bem tomerem posse dos espaços q nos foram subtraidos.
    Pois bem, na teoria é simples e bonito, mas na pratica,. . . . .
    Eis q entre animos e desanimos, ao caminhar por minha pacata cidade uma pipa no chão me chamou a atenção e para minha surpresa quem estaa nela ? São Jorge, o incansavel guerreiro, mas entre prós e contras, não me simpatizo pela imagem tradicional e batida criada pela unipresente igreja catolica. e pesquisando cheguei até vc ! Parabens pelo seu trabalho, belo, alegre, original e muito brasileiro.
    Tomo a liberdade de lhe pedir a imagem maori q tu fizeste de S. Jorge, simplesmente Fantastica, ainda mais por traçar um paralelo com um povo tão guerreiro como eles.
    Bom é isso, espero q possamos em oportunidade futura, trocarmos umas figurinhas.
    Receba meus mais sinceros votos de apreço.
    Cordiais Saudações

    Amadeu Junior
    amadeu.filhodaterra@gmail.com
    Salesópolis – SP
    Nascente do Rio Tiete.

  15. Meu caro Pedrinho da Rocha
    Encontrei uma criação sua para uma camiseta que teria circulado na Bahia. É de uma bandeira brasileira feita de fitinhas do Bonfim. Eu sou editor da revista Muncipios, do IBAM (www.ibam.org.br), que é uma instituição privada sem fins lucrativos, com sede no Rio de Janeiro. Caso voce autorizasse, a ilustração iria para a capa do próximo número da revista sobre “cooperação federativa”, mas sem as referências ao Bonfim, e com outras palavras selecionadas dos textos dos artigos, como cooperação, articulação, etc.. Nós evidentemente dariamos crédito a voce pelo original. A revista tem tiragem de 2 mil exemplares e é distribuída, além de estar disponível no nosso site para leitura. Somente 76 assinantes, fora da nossa mala direta que querem receber a revista, pagam assinatura. Aguardo sua resposta para poder fechar a edição.
    Obrigado e parabéns pelo belo trabalho de criação.
    Alberto Lopes

    • Meu caro Alberto. Me desculpe pela falha, mas estive envolvido num trabalho longo e fora e só agora vi sua mensagem. Não sei se ainda posso fazer algo, mas estou às ordens e, mais uma vez, me perdoe pelo não retorno. Pedrinho.

  16. Caro Pedrinho
    De qualquer modo, agradeço o seu retorno, mas tivemos que fechar a revista com outra solução de capa. Na verdade, eu deveria ter feito contato antes com voce. para bens pelo seu trabalho.
    Alberto

  17. Lindomar Luis

    Olá Pedrinho… sou um admirador do seu trabalho e reconhecedor da sua importância na história da Carnaval da Bahia.
    Sou tb produtor cultural e especialista na captação de recursos e elaboração de projetos para Leis de Incentivo e Editais de Cultura. Como muitos que visitam seu blog fiquei intusiasmado com a idéia de um livro que pudesse reproduzir suas histórias e imagens do carnaval de Salvador, algumas aqui presentes.
    Estou a disposição (caso queira) para ajudar na concretização deste importante projeto.

    Abs,

    Lindomar Luis
    lindomarluis@hotmail.com

  18. João Mauricio (Jonga)

    Olá Pedrinho,

    Inicialmente parabenizo-lhe pelo seu inegável talento, Você tem algum meio de contato com o cartunista Zé Vieira? Agradeço se você tiver, pois se trata de um velho amigo de infância.

    • Caro, João. Desculpe não responder antes, mas depois do carnaval, tirei um tempo para arrumar as coisas e um descanso. Obrigado pelo apreço. Quanto ao Zé Vieira, talvez, Pithon, que mantém um elo com todos do Bloco Pinel possa te fornecer. Segue: j_pithon@hotmail.com. Abraços.

  19. André Pontes

    Sempre me considerei um fã do carnaval baiano, mesmo não sendo, eu mesmo, baiano. E entre os nomes do carnaval baiano sempre tive um apreço maior (mas não unicamente), em uma primeira época, pelo Cheiro de Amor, e na esteira do tempo, pelo Grupo Eva. E sempre me perguntava quem seria a pessoa por trás das imagens desses. Cada campanha do Cheiro de Amor que saía me deixava embasbacado. Por exemplo, quando a Carla Visi assumiu os vocais do Cheiro e a divulgação foi feita, também, através de um outdoor duplo “O mesmo Cheiro, Um novo Amor” (por falar nisso, o outdoor “O Furacão Voltou”, que marcou a volta da Marcia Freire à banda, também tem sua assinatura?), eu fiquei fascinado pela arte, pelo jogo de palavras, pelas fotos, pela “audácia” de um outdoor duplo. Os projetos visuais dos trios, os desenhos dos abadás… tudo feito com um esmero deveras aparente. Me pergunto hoje, que sei quem é o autor da maior parte dessas obras, o que seria das grandes estrelas da música, se não fosse você, Pedrinho da Rocha, a grande estrela por trás das suas imagens!

    Parabéns pelo seu, brilhante, trabalho!

    P.S.: Ainda sonho com o dia em que você vai poder fazer um projeto visual pro trio do Cheiro de Amor, usando a alegoria de um elefante! (Antes mesmo de você fazer algo parecido com isso no Dragão da Folia, eu já imaginava isso no trio do Cheiro).

    • André, desculpe não responder antes, mas gostaria de fazê-lo com mais atenção e o tempo estava curto. Primeiramente, obrigado pela deferência e atenção com meu trabalho; fico muito feliz em saber de sua admiração; acho que fiz esse blog em respeito a pessoas como você que curtem nossa história, mesmo que seja a do carnaval, e nossa cultura. Vou anotar sua sugestão do trio Elefante. Se um dia for possível – dentro das atuais condições – e vc vê-lo na rua, saibe que será uma homenagem a sua ideia. Abraços. Pedrinho.

  20. Ciro Trindade.

    Olá Pedrinho, tudo bom? Primeiro, parabéns pela criatividade e que ela continue sendo criativa ano após ano! Segundo, gostaria de saber como posso adquirir o teu livro. Terceiro, um grande abraço!

  21. Preciso de uma ajuda URGENTE!!!! Vc tem email? Admiro muito o seu trabalho e preciso de uma ajuda, por favor!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s